Aprenda a Ganhar Dinheiro do seu Jeito na Internet!

CNES vai zarpar para Marte e Mercúrio

Estás a ler: CNES vai zarpar para Marte e Mercúrio

a CNES tem ambições sólidas para os próximos anos. O Centro Nacional de Estudos Espaciais, de fato, aproveitou seus desejos à imprensa para discutir seus próximos projetos e estes partirão para nada menos que dois planetas diferentes: Marte e Mercúrio.

A França é conhecida pela sua gastronomia, pelo seu queijo ou pelo seu vinho, mas a França também é muito apaixonada pelo espaço e pelos outros mundos que habitam o nosso sistema.

Espaço

Prova-o, aliás, todos os anos, concedendo grande parte do seu orçamento ao CNES.

CNES: aumento do orçamento em 2018

O ano de 2018 não será exceção à regra e o centro nacional confirmou assim um aumento significativo do seu orçamento, um aumento que ascende a 5% para atingir os 2.438 mil milhões de euros. Isso representa entre 38 e 39 euros por habitante, a maior soma depois dos Estados Unidos.

O CNES pretende usar essa sorte inesperada para financiar várias de suas missões extremamente ambiciosas.

Serão três em número: uma missão americano-francesa a Marte, uma missão europeu-japonesa a Mercúrio e uma missão franco-chinesa dedicada à Terra.

O primeiro será, portanto, realizado pela França e pelos Estados Unidos e abrirá o baile com lançamento previsto para o mês de maio. A Hexagon fornecerá o principal instrumento da missão, o sismômetro SEIS. Desenvolvido pelo CNES com o apoio do Institut de physique du Globe de Paris, do Instituto Federal Suíço de Tecnologia, do Instituto Max Planck, do Colégio Imperial, do JPL e do Instituto Superior de Aeronáutica e Espaço, este último terá como principal objetivo fazer medições precisas das atividades internas do planeta vermelho.

Três missões em preparação

Graças a este dispositivo, os cientistas da missão poderão, portanto, compreender melhor a estrutura interna do planeta e recuperar dados relativos à crosta e manto marcianos.

De acordo com as simulações realizadas, a implantação do dispositivo deve ocorrer já em novembro.

Ainda este ano, o CNES lançará outra missão em parceria com a JAXA. Seu objetivo será enviar duas sondas ao planeta Mercúrio para estudá-lo. A jornada será muito longa e levará cerca de sete anos até que os dispositivos se encaixem em sua órbita.

A última missão se concentrará em nosso próprio planeta e será realizada pela França e pela China. Será baseado num satélite desenvolvido pelas duas potências e terá como principal objetivo estudar o comprimento de onda das ondas e a força dos ventos para melhor prever tempestades e ciclones.

E um lançador reutilizável de bônus

Jean-Yves Legall, presidente do CNES, também mencionou as missões lunares durante seu discurso. Segundo ele, nosso satélite não é mais de grande interesse científico, pois trouxemos toneladas de amostras para a Terra nos últimos anos.

O homem também aproveitou para discutir outro projeto igualmente ambicioso. A França pretende unir forças com os alemães e os japoneses para desenvolver um lançador reutilizável chamado Callisto. CNES, DLR e JAXA chegaram a liberar um orçamento de cem milhões de euros para começar a desenvolver o dispositivo e os primeiros testes estão previstos para 2020.

O foguete testado terá cerca de 13 metros de altura e pesará 3,6 toneladas na decolagem. Ele terá como objetivo subir a uma altitude de 35 km antes de retornar à terra firme. As agências planejam reutilizá-lo cinco vezes, obviamente a ideia é reduzir os custos de lançamento e oferecer uma alternativa sólida ao lançador SpaceX.

~~~~~~~~📱~~~~~~~~

PCtg.net é o lugar perfeito para encontrar as últimas notícias e análises sobre gadgets e aplicativos de tecnologia, bem como dicas e truques sobre como tirar o máximo proveito de sua tecnologia.