Aprenda a Ganhar Dinheiro do seu Jeito na Internet!

Covid-19: vacina russa não é unânime entre pesquisadores

Estás a ler: Covid-19: vacina russa não é unânime entre pesquisadores

Em meados de agosto de 2020, a Rússia despertou surpresa geral ao anunciar que havia desenvolvido uma vacina eficaz contra o COVID-19. Apelidada de “Sputnik V” em homenagem ao primeiro satélite soviético a ser enviado ao espaço, a vacina já recebeu aprovação regulatória.

A vacina foi desenvolvida pelo Ministério da Defesa, o Fundo Russo de Investimento Direto (RFPI) e o Centro Gamaleya de Epidemiologia e Microbiologia em Moscou. É com orgulho que a Rússia insistiu que esta é a primeira vacina anti-COVID-19 pronta para uso.

Em um estudo publicado recentemente na revista The Lancet, pesquisadores relataram ter testado com sucesso o Sputnik V. Eles alegaram que a vacina era perfeitamente “segura e bem tolerada” pelos poucos voluntários que a receberam. Seus colegas europeus, no entanto, estão céticos sobre a eficácia da vacina e a divulgaram em uma carta aberta assinada por cerca de trinta especialistas.

“Potenciais inconsistências de dados”

Enquanto o estudo publicado no The Lancet afirma que todos os que participaram dos ensaios clínicos produziram altas concentrações de anticorpos, os pesquisadores europeus, no entanto, expressaram dúvidas sobre os números relatados pelo estudo, e não questionaram o concurso.

Na carta aberta, eles apontaram para “potenciais inconsistências de dados” que, segundo eles, tornaram os resultados do estudo “altamente improváveis”. Os pesquisadores obviamente demonstraram, com diagramas de apoio, tudo o que há de errado com os dados e números comunicados por seus colegas russos sobre esta famosa vacina anti-COVID-19.

A vacina foi lançada em toda a Rússia

Como esperado, a Rússia decidiu ignorar a relutância europeia em relação à sua vacina.

O presidente Vladimir Putin também anunciou a implantação das primeiras amostras da vacina Sputnik V, indicando que a equipe médica e os professores seriam os primeiros a recebê-la. Aqueles em risco serão os próximos.

Desde 14 de setembro, lotes de vacina anti-COVID-19 foram enviados para toda a Rússia. O Ministério da Saúde também anunciou a implantação de um aplicativo móvel que permitirá às pessoas vacinadas compartilhar informações sobre seu estado de saúde. Os dados serão coletados e usados ​​pelos pesquisadores para estudar os efeitos da vacina e melhorá-la.

~~~~~~~~📱~~~~~~~~

PCtg.net é o lugar perfeito para encontrar as últimas notícias e análises sobre gadgets e aplicativos de tecnologia, bem como dicas e truques sobre como tirar o máximo proveito de sua tecnologia.