Aprenda a Ganhar Dinheiro do seu Jeito na Internet!

FRB: as origens dos sinais extraterrestres finalmente elucidadas?

Estás a ler: FRB: as origens dos sinais extraterrestres finalmente elucidadas?

o FRB fascinam os astrônomos há vários anos, e uma equipe de pesquisadores da Universidade Nakin desenvolveu uma teoria interessante para explicar sua natureza.

Os FRBs não são sinais recentes e o primeiro deles foi assim descoberto por Duncan R. Lorimer em 2007. Ao analisar os dados coletados pelo observatório Parkes na Austrália, este de fato encontrou um sinal único da Pequena Nuvem de Magalhães.

alienígena FRB

No entanto, ele não conseguiu determinar sua origem exata no momento e nenhum sinal foi detectado posteriormente.

FRBs, um enigma astronômico a ser resolvido

A comunidade científica, então, acreditava em um simples bug causado por distúrbios ou por qualquer mau funcionamento. Tudo mudou, no entanto, em 2012, quando novos sinais extraterrestres foram detectados pelo Observatório de Arecibo e por um segundo radiotelescópio localizado em outro continente. Desta vez, a dúvida não era mais permitida.

Posteriormente, muitos FRBs foram detectados, mas ninguém ainda conseguiu perfurar sua natureza atualizada. Se alguns astrônomos acreditam que esses sinais foram causados ​​por estrelas de nêutrons, essa teoria não pode ser comprovada.

A Universidade de Nanjing criou, portanto, uma equipe de pesquisadores para investigar esses fenômenos. Após longas pesquisas e um certo número de simulações, os cientistas acabaram desenvolvendo outra teoria: eles de fato acreditam que a fonte desses sinais vindos de outros lugares reside em um certo tipo de estrela de nêutrons, e mais precisamente em estrelas exóticas.

Sinais extraterrestres serão provenientes de estrelas exóticas

De acordo com a definição comumente aceita, uma estrela exótica é um objeto compacto composto de várias partículas diferentes dos férmions presentes nos átomos.

De acordo com o modelo desenvolvido pelos pesquisadores, as estrelas estranhas tenderiam a criar uma camada de matéria hadrônica em sua superfície ao longo do tempo e esta se tornaria cada vez mais pesada até colapsar sobre si mesma, liberando disso faz grandes quantidades de energia magnética em sua superfície. uma escala de tempo muito curta.

Durante esse colapso e ainda de acordo com a teoria desenvolvida pelos pesquisadores da universidade, uma fração da energia magnética seria transmitida para a região da calota polar das estrelas para ser liberada, resultando na aceleração dos elétrons e pósitrons em ultra -velocidades relativísticas.

Essa aceleração seria precisamente a fonte das rápidas rajadas de rádio identificadas por nossos instrumentos. No entanto, os pesquisadores insistem que essa teoria deve ser tomada com cautela. Segundo eles, de fato, serão necessários estudos adicionais para validá-lo.

~~~~~~~~📱~~~~~~~~

PCtg.net é o lugar perfeito para encontrar as últimas notícias e análises sobre gadgets e aplicativos de tecnologia, bem como dicas e truques sobre como tirar o máximo proveito de sua tecnologia.