Aprenda a Ganhar Dinheiro do seu Jeito na Internet!

O asteroide que matou os dinossauros teria gerado um gigantesco tsunami em nossos oceanos

Estás a ler: O asteroide que matou os dinossauros teria gerado um gigantesco tsunami em nossos oceanos

Mais de sessenta e cinco milhões de anos atrás, um asteróide colidiu com a Terra causando a extinção dos dinossauros. Um estudo acaba de revelar que, ao mesmo tempo, esta colisão desencadeou um tsunami gigante que atravessou o Golfo do México e causou caos em todos os oceanos. Esta rocha do espaço sideral, conhecida como “Chicxulub”teria uma dimensão de quatorze quilômetros.

“O asteroide Chicxulub causou um gigantesco tsunami global diferente de tudo que já foi visto na história moderna” disse Molly Range. Este cientista é o principal autor da pesquisa sobre este cataclismo que causou enormes danos na Terra, levando ao evento de extinção Cretáceo-Paleogeno.

Simulador de asteróides

Range e seus colegas apresentaram os resultados de suas pesquisas na reunião anual da “União Geofísica Americana” em Washington D.C.

Ondas enormes atingindo o mundo inteiro

“Somos os primeiros a relatar o impacto do tsunami no final da propagação das ondas”apontam os pesquisadores.

Quase todos os cientistas sabiam que o asteroide havia tocado a profundidade das águas do Golfo do México. No entanto, eles precisavam de uma base para calcular “a deformação em grande escala da crosta terrestre, juntamente com as ondas caóticas da descarga inicial da água para longe do local do impacto, e as ondas caindo de volta na água”.

Para mais pesquisas, o grupo contou com a ajuda do professor Brandon Johnson da Brown University, Rhodes Island. Ele apresentou um cenário do que teria acontecido durante os dez minutos que se seguiram ao tsunami. Ele observou que após a poderosa explosão, uma cratera com mais de um quilômetro e meio de profundidade foi formada. “Neste ponto, a água imediatamente entrou na cratera e saiu para formar uma onda de colapso”explicou Range.

A segunda hipótese apresentou a propagação do tsunami em todos os oceanos da Terra. Para fazer isso, eles pegaram os resultados do primeiro modelo e as ondas de impacto em relação ao nível do mar e às velocidades da água. Eles então pegaram conjuntos de dados de terrenos oceânicos antigos e os usaram para determinar como o tsunami se desenrolou.

Os resultados mostram que os efeitos do tsunami foram sentidos em todo o mundo. No Golfo do México, o fluxo de água teria chegado a cento e quarenta e três quilômetros por hora. “Descobrimos que este tsunami ocorreu em todo o oceano, em todas as bacias oceânicas”, anunciaram os pesquisadores. Durante as primeiras vinte e quatro horas, o impacto do tsunami teria se estendido do Golfo ao Atlântico e teria afetado a América Central, que não existe mais, enquanto outrora ligava o Golfo ao Pacífico.

A onda inicial teria sido seguida por outras enormes ondas de vinte a cem metros de altura, dependendo da localização. Como lembrete, a maior onda já registrada no Hemisfério Sul teve vinte e três metros de altura, quase atingindo a Nova Zelândia em maio de 2018.

Um evento cataclísmico

O tsunami de 2004 no Oceano Índico custou mais de duzentas mil vidas. Portanto, não é difícil imaginar que o gigantesco tsunami do passado teria sido cataclísmico.

Este teria sido duas mil a trinta mil vezes mais poderoso.

Além disso, o asteroide teria, ao mesmo tempo, desencadeado ondas de choque e enviado uma grande quantidade de rochas quentes e poeira para a atmosfera. Essas partículas pairaram na atmosfera e bloquearam os raios do sol por anos, sufocando plantas e animais até a morte.

~~~~~~~~📱~~~~~~~~

PCtg.net é o lugar perfeito para encontrar as últimas notícias e análises sobre gadgets e aplicativos de tecnologia, bem como dicas e truques sobre como tirar o máximo proveito de sua tecnologia.