Aprenda a Ganhar Dinheiro do seu Jeito na Internet!

Pesquisadores conseguiram fazer um macaco paralisado andar

Estás a ler: Pesquisadores conseguiram fazer um macaco paralisado andar

Graças a uma neuroprótese, pesquisadores franceses conseguiram fazer um macaco paralisado andar. Eles agora planejam fazer testes em humanos.

Esses cientistas trabalham para o Instituto de Doenças Neurodegenerativas em Bordeaux e para a Ecole Polytechnique em Lausanne. Juntos, eles desenvolveram uma prótese capaz de ligar o cérebro aos centros da marcha localizados na medula espinhal.

Implante de macaco

Este sistema é, portanto, capaz de restabelecer a comunicação entre o cérebro e a região da medula espinhal responsável pelo movimento dos membros inferiores.

Uma neuroprótese para comunicar o cérebro e os centros da marcha

O funcionamento desta interface é bastante simples, pelo menos em teoria. A neuroprótese começa registrando a atividade cerebral relacionada à intenção de andar e a decodifica na hora para então transmitir a informação para a parte da medula espinhal localizada sob a lesão.

Para isso, conta com eletrodos capazes de estimular as redes nervosas responsáveis ​​pela ativação dos músculos das pernas.

Portanto, funciona um pouco como um circuito de substituição, construindo uma ponte adicional entre o cérebro e essa região da medula espinhal.

Na verdade, a interface consiste em um implante cerebral, um sistema de gravação, um computador, um marca-passo e um implante espinhal. O todo funciona graças a algoritmos especialmente desenvolvidos para a ocasião. O mais difícil foi obviamente entender o desejo do macaco de transcrevê-lo em forma de gesto, ou melhor, de movimento.

Os primeiros testes foram conclusivos

O dispositivo foi projetado na EPFL e foi desenvolvido por um grupo internacional formado por vários órgãos como a Brown University nos Estados Unidos ou o Fraunhofer ICT-IMM na Alemanha. Foi então testado em um primata que sofria de paralisia dos membros inferiores, com o apoio do Inserm, da Universidade de Bordeayx, do Hospital Universitário de Lausanne e do CNRS.

Esta prótese exigiu vários meses de desenvolvimento e foi objeto de um longo estudo, publicado na semana passada na revista Nature.

Grégoire Courtine, professor da EPFL, explica em seu artigo que “esta é a primeira vez que uma neuroprótese conseguiu restaurar a marcha em primatas”. Curiosamente, os testes foram realizados em dois macacos e ambos conseguiram andar novamente depois que o dispositivo foi ligado. sem no entanto, você tem que passar por alguma forma de reabilitação.

Com base nesse sucesso, a equipe decidiu iniciar testes clínicos em humanos na Suíça. No entanto, será necessário esperar muitos meses antes de ter o primeiro feedback dos pesquisadores responsáveis ​​por esses testes.

~~~~~~~~📱~~~~~~~~

PCtg.net é o lugar perfeito para encontrar as últimas notícias e análises sobre gadgets e aplicativos de tecnologia, bem como dicas e truques sobre como tirar o máximo proveito de sua tecnologia.