Aprenda a Ganhar Dinheiro do seu Jeito na Internet!

Raro tubarão-fantasma é descoberto na costa da Nova Zelândia

Estás a ler: Raro tubarão-fantasma é descoberto na costa da Nova Zelândia

É a 1200 metros de profundidade perto da Ilha Sul, na Nova Zelândia, que ocorreu uma descoberta surpreendente. O NIWA ou Instituto Nacional de Pesquisa Aquática e Atmosférica acaba de confirmar a descoberta de um “tubarão fantasma” muito raro que acabou de eclodir.

Também chamado de quimera, o espécime tem uma cabeça pontiaguda com dois grandes olhos negros e um corpo translúcido e gelatinoso. Sua aparência física lembra vagamente a de um extraterrestre, mas os pesquisadores acreditam que provavelmente pertence a uma das cinquenta espécies conhecidas de tubarões fantasmas que vivem nas profundezas do globo.


Tubarão fantasma bebê
Créditos Brit Finucci

De acordo com o NIWA, as quimeras são bastante semelhantes aos tubarões e raias, que são peixes com esqueleto cartilaginoso em vez de esqueleto ósseo.

Tubarão fantasma? O que é isso ?

O nome “tubarão fantasma” vem da aparência física de quimeras adultas que se assemelham a fantasmas. Vivendo nas profundezas escuras do oceano, sua aparência é digna de um filme de terror.

De acordo com pesquisadores do NIWA, os embriões de tubarão fantasma se desenvolvem em cápsulas depositadas no fundo do mar, alimentando-se de gema de ovo até a eclosão. Devido ao seu pequeno tamanho e habitat excepcionalmente profundo, encontrar bebês é extremamente raro e os pesquisadores têm poucas informações sobre eles. De acordo com Brit Finucci, um cientista do NIWA, o indivíduo descoberto provavelmente acabou de nascer, já que seu abdômen ainda estava cheio de gema de ovo.

Uma descoberta casual

Para estimar o tamanho da população de hoki, uma variedade de peixe local comumente usada em produtos comerciais, o NIWA realizou uma pesquisa a cerca de 1.200 metros de profundidade na costa da Nova Zelândia. Foi durante essa operação que a quimera recém-eclodida foi parar nas redes dos pesquisadores.

Está prevista a realização de mais testes genéticos para tentar identificar a espécie a que pertence o indivíduo pescado. Ao comparar este último com um adulto de sua espécie, os cientistas poderão estudar as mudanças na cor, tamanho, mas também nos hábitos alimentares entre a fase do bebê e a idade adulta.

FONTE: Livescience

~~~~~~~~📱~~~~~~~~

PCtg.net é o lugar perfeito para encontrar as últimas notícias e análises sobre gadgets e aplicativos de tecnologia, bem como dicas e truques sobre como tirar o máximo proveito de sua tecnologia.