Aprenda a Ganhar Dinheiro do seu Jeito na Internet!

Uma retrospectiva da onda de calor de 1911

Estás a ler: Uma retrospectiva da onda de calor de 1911

Durante o verão de 1911, os franceses experimentaram o pior período de onda de calor já registrado na história da França. Em 22 de julho deste ano, a temperatura em Paris subiu 7,6°C acima do normal. Em 23 de julho, fazia 40°C na sombra em todos os cantos da França. Uma breve pausa marcou o final de julho.

No entanto, os picos de calor voltaram em agosto e pareciam intermináveis.

Durante quatorze dias consecutivos, as temperaturas em Paris não caíram 30°C. Em meados de agosto, a onda de calor diminuiu novamente. No entanto, ressurgiu no início de setembro. Em 9 de setembro de 1911, os termômetros parisienses indicavam 35,6°C. A onda de calor finalmente parou em meados de setembro.

As ondas de calor insuportáveis ​​invadiram a França por um total de setenta dias. Cerca de quarenta mil franceses não sobreviveram. A maioria das vítimas eram crianças pequenas.

Ondas de calor invadiram outros países europeus

“No décimo primeiro arrondissement, quarenta a cinquenta inquilinos são obrigados a passar as noites na calçada”havia escrito o Diário, em 14 de agosto de 1911, no comentário abaixo uma foto de pessoas dormindo sob as estrelas.

Gil Blas, um jornal diário da época, descreveu poeticamente a série escaldante como“incómodo, invasivo, indiscreto”. “Ela penetra em todos os lugares, ela se insinua, ela desliza, e sua presença pesada, pesada, como uma enxaqueca, se faz sentir, se impõe imperiosamente. »

A França não foi a única afetada por essas ondas de calor mortais. Eles começaram causando uma dúzia de mortes nos Estados Unidos. Eles então varreram a Europa, afetando particularmente a França, Rússia, Inglaterra, Bélgica, Holanda e Suíça.

Uma verdadeira crise de mortalidade infantil

Dos quarenta mil mortos, 29.000 eram crianças pequenas. A maioria das mortes ocorreu como resultado de diarreia (gastroenterite). Esta epidemia foi acompanhada pela febre aftosa que afetou a qualidade e a quantidade da produção de leite. Além disso, por causa do calor extremo, as vacas leiteiras comiam muita farinha, polpa e beterraba podre.

Porém, nessa época, muitas mães desistiram de amamentar. Deduziu-se que os bebês estavam contaminados pelo leite da mamadeira que recebiam.

A onda de calor de 1911 é considerada uma das mais longas da história. Além disso, foi particularmente percebido como uma crise real da mortalidade infantil.

~~~~~~~~📱~~~~~~~~

PCtg.net é o lugar perfeito para encontrar as últimas notícias e análises sobre gadgets e aplicativos de tecnologia, bem como dicas e truques sobre como tirar o máximo proveito de sua tecnologia.